31 de dezembro de 2009

Feliz ano novo

O blog Badminton no meio do mundo deseja a todos um feliz ano novo.

Senhor nosso Deus
Pai eterno Todo-Poderoso
Rendamos-Lhe graças
Pelas bênçãos em nós depositadas
Neste ano findado
E rogamos-Lhe Vossa permissão
Para prosseguir em nossa jornada evolutiva
Sob o amparo dos Bons Espíritos.
Estejamos todos nós, irmãos
Receptivos à Vossa Luz Divina
E deixemos a Paz e o Amor incondicional
Reinarem em nossas almas.

Que assim seja!

30 de dezembro de 2009

Passou na Globo

Foi ao ar na segunda-feira, 28, a matéria que a TV Amapá (Globo local) fez com a gente agora em dezembro, na quadra do Colégio Atual. Eu havia noticiado aqui no blog a gravação da matéria, estava ansioso pra ver o resultado, mas... não assisti. Pior é que a minha casa quase todo mundo viu rsrsrsrsrs... e eu estava em casa. Vou tentar conseguir a edição pra colocar aqui no blog, e pra eu assistir também.

O legal de ver o badminton em destaque assim na mídia, principalmente a televisiva, não desmerecendo a importância das outras, é saber que repercutiu bastante. Alguns conhecidos meus já me indagaram sobre o esporte, depois de terem me visto na TV. Isso é importante, mostra que o badminton amapaense não é só lazer. As pessoas passam a respeitar como esporte. É um esporte! O segundo mais praticado no mundo! De fácil iniciação, basta querer. E é difícil de não querer. É apaixonante, todos gostam. Venham conhecer.

Obrigado mais uma vez à equipe da TV Amapá.

29 de dezembro de 2009

Táticas de jogo: 7ª parte

Estratégias de Duplas (Masculino e Feminino)

III - Jogando na Ofensiva

Quando um time entra em ofensiva no badminton, ele divide a quadra para maximizar seu poder de ataque. A melhor divisão já desenvolvida é o "frente e atrás". Nesta divisão, um jogador (A) cobre a metade da quadra próxima a rede e o outro jogador (B) cobre a metade mais próxima à linha de fundo:



Note que neste tipo de zona ofensiva, cada jogador tem uma área definida de responsabilidade. Este é um conceito importante para o bom ataque e também para o time que se defende dele.

Vamos assumir que o jogador "A" está no ataque perto da rede e jogador "B" está no ataque perto da linha de fundo. Os jogadores "A" e "B" devem geralmente estar no centro das áreas as quais eles são responsáveis. Se um deles sai dessa base central, o outro jogador se move imediatamente para manter o equilíbrio.

O jogador "A" deve agir como um atacante, tentando forçar os oponentes a levantar a peteca, assim jogador "B" poderá cortar. É claro que o jogador "A" deve cortar sempre que surgir a oportunidade, mas geralmente seus golpes são o net-shot ou o push.

No sistema "frente e atrás", o jogador "frente" tem que tentar interceptar todos os golpes que não sejam altos o bastante para o jogador "atrás" cortar.

Assim, quando no ataque, a raquete deve ser mantida para cima na altura da sua cabeça e a peteca deve ser batida para baixo ou chapada sempre que possível. Se não for possível, deve ser cruzada próxima à rede. O jogador "B" não deve cortar cruzado a menos que haja um ponto fraco dos oponentes facilmente explorável.

Fonte: Federação de Badminton do Estado de São Paulo

27 de dezembro de 2009

25 de dezembro de 2009

Feliz Natal

O blog Badminton no meio do mundo deseja a todos um Feliz Natal.

Paz, Luz, Caridade.

23 de dezembro de 2009

Táticas de jogo: 6ª parte

Estratégias de duplas (Masculino e Feminino)

II - Recepção do Serviço

Se seu oponente não disfarça o serviço, fique na espera e crie dificuldades para ele. Lembre-se, seu oponente não pode marcar pontos se você mata o saque imediatamente sempre que aparece a chance. Porém, se seu oponente disfarça o serviço, seu trabalho é aumentar suas chances. Tente reconhecer o disfarce: frequentemente há alguma pequena diferença que um observador agudo pode reconhecer. Procure "entrar na pele" do oponente, ou peça a alguém com mais experiência para fazer isso para você ou dependendo do nível de jogo contrate um treinador.

Se seu oponente saca longo, corte. Se seu oponente saca curto, tente responder de uma das seguintes formas:
1. um push sobre seu oponente;
2. net-shot para o canto mais próximo a você;
3. net-shot para o canto mais longe de você.

Obviamente, se seus oponentes têm pontos fracos visíveis, eles devem ser explorados. A resposta número um exige que você chegue bem rápido à rede. As respostas dois e três exigem um pouco menos de velocidade. O quão distante da rede e quão baixo você rebate a peteca, depende das zonas ofensiva e defensiva dos seus oponentes.
Fonte: Federação de Badminton do Estado de São Paulo

21 de dezembro de 2009

Equipamentos: rede

A rede será feita de corda fina de cor escura e grossura uniforme com a malha de não menos que 15mm e não mais que 20mm. Ela terá 760mm de altura e pelo menos 6,1 metros de largura.

Na parte superior da rede terá uma fita dupla de pano branco de 75mm dobrada sobre uma corda ou cabo passando dentro da fita. Esta fita se apoiará sobre a corda ou cabo.

O topo da rede, a partir da superfície da quadra, será de 1,524 metros no centro e 1,55 metros sobre as linhas laterais de duplas. Não haverá espaços entre as extremidades da rede e os postes. Se necessário, a extensão total das laterais da rede será amarrada aos mesmos.

Fonte: badmintonpr.wikidot.com

18 de dezembro de 2009

Confraternização

Aconteceu no último dia 16/12, quarta-feira, às 21:00h, na quadra do Colégio Atual, a confraternização de fim de ano do badminton amapaense. Foi um momento de muita alegria compartilhado por todos os praticantes que estavam presentes, alguns acompanhados de seus familiares.

Após o discurso de abertura feito pelo coordenador Alfredo Silveira, todos cantaram parabéns para o Pedro Ivo, que havia aniversariado no dia anterior. Em seguida houve um rápido sorteio de presentes, enquanto o bate-papo descontraído e a "reposição das energias" (muita comida rsrsrsrsr...) tomava conta da quadra.



E no final, nada melhor do que fazer a digestão jogando badminton no meio do mundo.


(Coordenadores: Calandrini, Fernando, Alfredo, Ivan Daniel e Ivan Felipe)

Estamos fechando o ano de 2009 com boas expectativas para 2010, mas não basta querer, precisamos fazer acontecer.

16 de dezembro de 2009

Táticas de jogo - 5ª parte

Estratégias de duplas (Masculino e Feminino)

Note que nenhuma diferenciação é feita entre duplas masculinas e femininas. Em ambas as modalidades se aplicam os mesmos princípios básicos.

Duplas em badminton pode ser o jogo mais excitante de todos se bem jogado por ambos os times envolvidos. Porém, frequentemente se degenera em dois jogadores que monopolizam o jogo sob a impressão de que eles estão explorando seus pontos fortes e encobrindo as "óbvias" deficiências de seus parceiros.

Um time tem pontos fortes e pontos fracos, mas um time é composto de dois jogadores que atuam JUNTOS. Não é composto de um jogador com uma vantagem acentuada.

Desta forma, a seleção de golpes e estratégias por um time não deve ser desprezada em nenhum nível de jogo.

As táticas para o jogo de duplas - quer de homens quer de mulheres - devem ser discutidas sob esses seis títulos:
I - Serviço
II - Recepção do Serviço
III - Jogando na Ofensiva
IV - Jogando na Defensiva
V - Movimento do Ataque para a Defesa
VI - Movimento da Defesa para o Ataque

I - Serviço

Embora para o nível inicial não se requeira um conhecimento do "saque de efeito" - ou seja, um saque que começa igual ao saque curto e então vai fundo na quadra por causa de uma "explosão" súbita do pulso - todos os jogadores de duplas acham esta variação de saque essencial.

A qualquer hora em badminton, em qualquer golpe, você tem que ter pelo menos um golpe alternativo ou seu oponente sempre estará no lugar certo no momento certo. Então, quando servindo, desenvolva a habilidade para: a) sacar curto, rente ao topo da rede, caindo a peteca bem na junção da linha de saque com a linha de central do oponente; b) sacar de efeito para o fundo da quadra do oponente.

Se estes dois saques são executados sempre nos pontos certos de queda e cuidadosamente alternados, você estará bem. Em níveis melhores de jogo o saque curto é usado muito mais frequentemente.

Fonte: Federação de Badminton do Estado de São Paulo

15 de dezembro de 2009

Dia de jogo na quadra do Atual

Noite diferente na quadra do Colégio Atual. Ontem, segunda-feira, recebemos a visita de uma equipe de reportagem da TV Amapá, afiliada da Rede Globo no estado. O Prof. Aldir Dantas, nosso baluarte licenciado temporariamente das atividades do badminton, passou meu telefone de contato pra fazer a matéria, e eu não poderia recusar. É sempre bom divulgar o esporte que escolhemos como favorito.

Foi rápida a visita do repórter Fran Tavares, acompanhado de um cinegrafista, que aproveitou todo o curto tempo que permaneceu na quadra fazendo imagens dos praticantes jogando. Eu respondi algumas perguntas, depois uma praticante respondeu outras e, finalizando, um garoto também respondeu. O badminton é assim, diversidade de praticantes.

Enquanto a matéria era feita, o badminton não parou nas quadras. Vamos esperar pela edição, ficando de olho no Globo Esporte local nos próximos dias. Obrigado ao Fran Tavares, Elyerge Paes e todos da TV Amapá.


O Amapá no Blogminton

O Blogminton, do amigo Ricardo Nagato, é parada obrigatória na internet para todos os praticantes de badminton do Brasil. Ele é o atual presidente da Federação de Badminton do Estado do Rio de Janeiro - FEBARJ. Ontem ele publicou em seu blog a notícia da reportagem do jornal Diário do Amapá com o badminton amapaense. Valeu Nagato!

Para ler clique aqui.

14 de dezembro de 2009

Dia de jogo na quadra da equipe Elite

Foi uma noite movimentada na quadra da Equipe de Badminton Elite. Era feriado, mas praticamente toda a equipe esteve presente. Alguns chegaram após cumprirem com suas obrigações de fé, o feriado era religioso, mas o bad também é sagrado.

Teve gente que deixou a quadra por não aceitar o companheiro de dupla fazendo "corpo mole" enquanto perdia. Depois jogaram juntos de novo, contra a mesma dupla, e arrebentaram, literalmente, com os adversários. Um smash potente acertou em cheio a boca de um deles.

Como sempre, nos jogos da equipe Elite, aconteceram jogadas fantásticas, malabarismos, "furadas de melancia", estratégias perfeitas, defesas quase impossíveis, e o melhor de tudo, muita alegria.



(Em cima: Sandro, Pedro, Ivan Felipe, Ramid e Ivan Daniel)
(Em baixo: Alfredo, Olinto, Wlad, Saulo, Enzo e Fred)

12 de dezembro de 2009

Atividade da faculdade FAMA

Mês passado eu participei de uma atividade acadêmica com alunos concluintes do curso de Educação Física da Faculdade FAMA. Eles escolheram o Badminton, através do Prof. Aldir Dantas, para mostrar que são capazes de desenvolver um programa de atividades físicas voltado para a melhoria do condicionamento físico e da agilidade do atleta/praticante, otimizando assim o dispêndio de energia durante os jogos e aumentando a qualidade técnica.

Durante os dias de atividades eu executei diversos exercícios e movimentos, com ou sem raquete e peteca, que eram repetidos por um determinado tempo cronometrado. Alguns exercícios misturavam velocidade, agilidade, coordenação motora, força e técnica. Os acadêmicos demosntraram um excelente domínio teórico e prático da atividade que desenvolviam. Certamente serão ótimos profissionais.

Foi bom ter participado desse trabalho. No final de cada dia de atividades eles pegavam as raquetes, entravam na quadra e eu ensinava alguma coisa da prática do badminton. Assim surgiu a idéia de buscar patrocínio na faculdade FAMA pra trazer um curso de capacitação de badminton aqui pro Amapá. Eles estão concluindo o curso, não estarão mais na faculdade no próximo semestre, mas prometeram deixar uma sementinha do badminton plantada por lá.

Espero que tenha dado certo o trabalho, estou esperando que me enviem o resultado final pra eu publicar aqui alguma coisa a respeito, principalmente imagens e vídeos.

10 de dezembro de 2009

Curiosidades

Estudos científicos conduzidos pelo Departamento de Educação Física na Universidade de Baylor, no Texas, Estados Unidos, mostram o badminton como uma das melhores atividades de condicionamento. Em nível competitivo, ele requer explosão, muitas corridas e saltos, bons reflexos e boa coordenação entre mãos e olhos. A peteca (shuttle em inglês, não confundir com o "space shuttle" da NASA) pode sair da raquete em velocidades de até 180 milhas por hora durante os rallies de uma competição de alto nível. Com essa velocidade, mesmo o mais rápido serviço no tênis ou a mais potente rebatida no beisebol nas ligas principais parecerão uma imagem em câmera lenta.

Um jogador de badminton pode correr mais de uma milha em uma única partida. Em um jogo típico de 45 minutos um jogador fará mais de 300 mudanças de direção de 90° ou mais. Em um único jogo, um jogador pode facilmente acertar centenas de rebatidas em velocidades duas vezes maiores do que as mais rápidas velocidades no tênis ou beisebol da liga principal. Mais de 100 batidas no jogo serão feitas com balanços de braço estendido. Há muito mais balanços do que no beisebol profissional.

Um jogo de duplas é mais rápido e forte do que o jogo individual. No jogo de duplas, podem haver 15 batidas em apenas 20 segundos. Isso significa que, em um jogo típico de 45 minutos, os dois jogadores podem combinar um total de 2025 batidas, mais de 1000 para cada um. Supondo que 50% dessas batidas são cortadas de pancada forte, no final de cada jogo, cada jogador terá acertado mais de 500 batidas que podem superar 180 mph de velocidade.

O badminton exige pelo menos duas pessoas para ser jogado. No entanto, como jogo de recreação, não há nada que impeça alguém de jogar com um número ímpar de pessoas ou até jogar sem a rede. Pelo fato de ser um dos esportes mais flexíveis, o badminton pode ser jogado em qualquer superfície relativamente plana e dura, tanto descoberta como coberta, sem perder os benefícios decorrentes dos exercícios.

Finalmente, caso você esteja apenas tentando matar o tempo livre ou tirar proveito dos benefícios de um dos melhores exercícios que já praticou, o badminton irá garantir que o tempo gasto valha a pena. Tal como em outros esportes ou jogos, a coisa mais importante no badminton é sair e se divertir. Pegue a Raquete e Divirta-se.

Fonte: Portal São Francisco (adaptado no blog)

8 de dezembro de 2009

Vídeo - duplas (14)

Saulo e Ramid x Alfredo e Ivan Felipe



Local: quadra da Equipe de Badminton Elite.

6 de dezembro de 2009

Equipamentos: grip

O termo grip pode ser entendido como a forma de agarrar na raquete ou como o acessório utilizado no cabo da raquete de forma que esta possa ser agarrada pela mão do jogador. Logo, é indiscutível a importância da qualidade de um grip, uma vez que é a zona de contato que permite à raquete se tornar a extensão do nosso braço.

Existem vários tipos de grips, podendo o jogador escolher de acordo com a marca e preferência pessoal. Existem atualmente no mercado grips de todas as cores, com toque suave, áspero, absorvente, impermeáveis, com rugosidades, lisos, etc.

De uma forma geral, um grip deverá ser confortável, com boa aderência e durável, tendo em conta o seu custo-benefício, já que poderá manter as suas características originais apenas durante meia dúzia de horas de uso intensivo.

Um grip de má qualidade além de não possuir as características descritas acima, poderá ainda causar bolhas nas mãos, descolar-se do cabo com o uso ou mesmo perder a aderência em contato com o suor da mão. Para prolongar a duração de um grip pode-se eventualmente utilizar um pano para absorver o suor.

Fonte: Portal São Francisco (editado no blog)

3 de dezembro de 2009

Táticas de jogo - 4ª parte

Estratégias de Simples (Masculino e Feminino)

III - O Saque nas Partidas de Simples


(a) Saque alto
(b) Saque curto

Saque alto:
Para vencer mais facilmente o ponto, você deve colocar o oponente na defensiva logo no início do rally. O saque alto que cai verticalmente bem perto da junção da linha de fundo com a linha central é muito efetivo. Como visto anteriormente, os golpes de seu oponente ficam limitados e o rally caminha rapidamente para uma disputa de espera para que alguém faça uma devolução fraca na zona ofensiva do oponente.

Saque curto:
Este é um saque efetivo num nível avançado de jogo, mas pode ser usado algumas vezes pelos jogadores menos experientes. O ideal é que a peteca vá bem baixa, rente a rede caindo logo depois da linha de saque do oponente próximo à linha central. É um serviço perigoso visto que: a) a margem de erro é pequena (se for muito alto, a peteca pode ser cortada); b) permite respostas perigosas na rede. O jogador adversário, alternando respostas na rede e balões da maneira certa, pode ganhar rapidamente rallies iniciados por um saque curto.

IV - Considerações Finais

Sempre é difícil de avaliar a importância relativa dos golpes e do condicionamento. A cada nível de jogo a relação muda. Aconselha-se aos jogadores nesta fase se concentrarem mais nos golpes. Esteja bem fisicamente, mas não faça disso uma mania. Esteja numa condição suficientemente boa para fazer justiça a sua habilidade para executar os golpes. Trabalhe em seus golpes até que você possa fazer com que a peteca faça o que você quiser quando bater nela.

Uma vez a partida iniciada, concentre-se em um golpe de cada vez. Lembre-se, entretanto, que sua mente está analisando o que aconteceu e está projetado o que acontecerá. Aprenda com seus erros - não caia na mesma armadilha a todo instante. Descubra padrões previsíveis no jogo de seu oponente de forma que você esteja no lugar certo no momento certo. Descubra os pontos fortes e fracos de seu oponente assim você pode evitar os pontos fortes dele e explorar os fracos. Todo oponente pode ser batido contando que ele seja administrado corretamente. Badminton não só é um jogo de força, mas, sobretudo, de cérebros.

Fonte: Federação de Badminton do Estado de São Paulo

1 de dezembro de 2009

Vídeo - duplas (13)

Alfredo e Ramid x Ivan Felipe e Wlad



Local: quadra da Equipe de Badminton Elite.