15 de janeiro de 2010

Retrospectiva 2009

O blog Londres 2012 já começou publicou em dezembro uma retrospectiva do ano de 2009 para o badminton. Confiram:

O badminton teve um ano de renovação no masculino e de poucos resultados importantes no feminino. Os atletas que estão há anos na seleção, como Guilherme Pardo e Guilherme Kumasaka, Lucas Araujo e Paulo Scala não estão mais nas primeiras posições do ranking nacional, dando lugar a nomes como Daniel Paiola, Thomas Moretti e Hugo Arthuso. Já o feminino vive de duas atletas que estão em um nível acima de todas as outras, mas ainda assim de pouca expressão em nível sul-americano.

O principal fato do ano é a volta de um brasileiro ao grupo dos 100 melhores do mundo. Daniel Paiola já começara sua arrancada no ranking no fim de 2008, com títulos na África do Sul, mas teve um 2009 mehor ainda, que fez ele terminar o ano em 87º lugar. Ele venceu o torneio da Colombia, foi vice no Suriname, caiu na semifinal na Guatemala e disputou um total de 15 torneios esse ano, viajando pelas Américas e disputou três torneios na Europa. Quando ele enfrenta os atletas europeus ou asiáticos acaba sucumbindo, como aconteceu na Espanha e na França, em que não conseguiu vencer partidas. Atualmente, está morando em Portugal e disputa bem alguns torneios por lá.

Já o feminino não está no mesmo ritmo. Duas atletas, Paula Beatriz Pereira e Fabiana Silva, estão muito acima das restantes das jogadoras e dominaram os campeonatos nacionais, se alternando nos títulos. O PrOJETO Social do Sebastião, no Rio, costuma revelar atletas, mas lá, assim como no Brasil inteiro, estamos passando por uma entressafa.

Um exemplo disso aconteceu no ranking mundial, em que poucas meninas do Brasil disputam torneios pelo mundo. Fabiana Silva jogou o campeonato pan-americano nesse ano e o Torneio Internacional de São Paulo, caindo nas oitavas no torneio continental e na primeira rodada no Torneio brasileiro. Ela encerrou o ano em 316º. Aliás, no torneio brasileiro não tivemos nenhuma entre as oito melhores, assim como aconteceu no Campeonato Pan-americano.

No Campeonato Pan-americano, por sinal, a equipe do Brasil, formada por dois homens e duas mulheres, ficou na quarta posição, Brasil e México fizeram a disputa pelo terceiro lugar e mais uma vez a equipe brasileira mostrou muita garra. Além de ter que enfrentar os atletas em quadra, nossos jogadores também enfrentaram uma grande torcida que apoiava a todo instante os atletas da casa. Porém, no final vitória do México por 3 a 1.

Nos torneios individuais, entretanto, pouca festa para o Brasil. Paiola foi o melhor brasileiro, chegando as quartas-de-final. De resto, nenhuma medalha nem nos simples, nem nas duplas nem nas duplas mistas.

No Pan-americano juvenil, o Brasil teve alguns motivos para comemorar. Thomas Moretti se tornou bi campeão continental da categoria até 19 anos e se credenciou para o Mundial da categoria. Ele fez um bom papel, caiu na segunda rodada, mas ficou entre os 64 melhores do mundo.

Ainda na base, no campeonato sul-americano juvenil, o Brasil acabou com a medalha de prata por equipes na competição disputada na Colombia. O time acabou perdendo a final para os favoritos peruanos por 5x0. O Brasil terminou a competição com trÊs ouros. Leonardo Alkimin e Lucas Alves venceram as duplas sub-17, Luiz Enrique Dos Santos e Renata Carvalho venceram as duplas mistas sub-19, Leonardo Alkimil e Ana Paula Campos venceram as duplas mistas sub-15.

O que esperar para 2010 é que nossos atletas no masculino disputem não só os torneios espalhados pelas Américas, mas que consigam entrar em torneios na Europa, vencer e enfrentar adversários mais complexos. A expectativa também é que nossa equipe consiga uma medalha no pan-americano adulto, vencendo o México que atualmente é a terceira potência do continente, atrás de Canadá e Peru. No feminino, precisamos de novos nomes.
Postar um comentário