3 de fevereiro de 2010

Calibre e Encordoamento - 2ª parte

MUDANÇAS NA PRESSÃO DA CORDA AFETAM A PERFORMANCE DA RAQUETE

A raquete e a corda devem trabalhar em conjunto como uma unidade, assim escolher a pressão correta é uma das decisões mais importantes na escolha do equipamento que um jogador pode fazer. Não devemos pensar no passado, quando todas as raquetes eram feitas do mesmo material (madeira), todas tinham o mesmo desenho de cabeça e todas eram encordoadas com 15 lbs. de tensão. O desenvolvimento e uso de novas tecnologias fizeram com que a escolha entre tipos de encordoamento se tornasse bem mais complexa.

Existem atualmente inúmeros desenhos diferentes de cabeça de raquetes, tamanhos, padrões de encordoamentos, grande variedade na ação do cabo das raquetes, de flexíveis a totalmente inflexíveis. A tensão da corda deve ser feita considerando todos estes dados. A tensão de encordoamento recomendada hoje em dia varia de 15 a 24 lbs. ou mais. Isto quer dizer que existe um grande espaço para se cometer erros. Ou utilizar estes dados de uma maneira mais profissional e clara: existe uma grande oportunidade do jogador fazer um ajuste fino de sua raquete para que se encaixe em seu estilo de jogo, alterando a pressão da corda dentro de uma grande variação. Se você não gosta da performance de sua raquete, nunca pense em trocar por outra antes de testar cordas diferentes e tensões diferentes.

A equação básica é:

Maior tensão

é igual a maior controle

Menor tensão

é igual a maior potência


A corda com menor tensão tem maior flexibilidade e se estica quando entra em contato com a peteca e rapidamente volta para seu comprimento inicial. Este efeito trampolim (ou retorno) adiciona potência na batida. Se a raquete estiver encordoada com alta pressão, terá menor flexibilidade, ocasionando um menor efeito trampolim. Por outro lado, corda com alta tensão ficará mais firme com baixa flexibilidade, fazendo com que facilite o controle na direção onde quer se jogar a peteca. Todavia tenha em mente estes limites: pressão excessiva faz com que a corda e a raquete se quebrem mais facilmente e pressão muito baixa faz com que perca totalmente o controle e a potência.

Uma raquete perde cerca de 10% da tensão um dia após seu encordoamento e também se não for utilizada. A tensão, conforme se usa a raquete, vai diminuindo com o tempo. A perda de tensão é devido à flexibilização a nível molecular e isto é um fato que tem que ser considerado: trabalhe com esta informação e não contra isto. Pense em termos de uma pressão de encordoamento como a inicial, ou tensão referência. Aprenda qual tensão referência funciona melhor para você durante a vida útil da corda e siga esta informação.

Verificar a tensão em uma raquete já encordoada pode ser feita com um equipamento especial, mas não é um exercício muito correto. Quando a corda fica muito solta (se não estiver ainda rompida), quer dizer que as moléculas já se esticaram consideravelmente, aumentar a pressão da corda na raquete, não a fará retornar para sua forma original. Portanto, não perca tempo em medir a pressão do encordoamento de sua raquete, faça um novo.

A fabricação da corda por si mesma afeta a tensão da corda e sua performance. O núcleo da corda, o qual fornece as características primárias de resistência e potência, é feito de uma quantidade de diferentes polímeros. Cada um com diferentes níveis de elasticidade, estabilidade da tensão, durabilidade etc. Os filamentos usados para fabricar estes núcleos variam em tamanho, quantidade e orientação - por exemplo: torcidos ou lisos - entre diferentes modelos de cordas.

Cuidados semelhantes são aplicados também na capa da corda, a qual fornece a principal resistência à abrasão e características de “controle”.

O ponto a ser aqui destacado é que a fabricação de cordas é um assunto muito técnico, o qual na verdade é realmente entendido somente pelos engenheiros têxteis especializados nesta área. Em geral, os jogadores devem ignorar estes detalhes técnicos e prestar atenção em como ele sente a corda no seu jogo.

Sempre é uma boa idéia discutir com um técnico certificado em encordoamento que entende realmente de badminton. Mas entender sobre tensão de cordas é mais parecido com um teste de Português do que Matemática: não existe somente uma resposta e a decisão final tem que ser feita pelo jogador, baseada em suas habilidades, estilo de jogo e preferências. Se você for fisicamente forte, você deve querer adicionar controle em seu jogo encordoando sua raquete com mais pressão. Ou você quer que suas batidas sejam mais fortes encordoando com menos pressão. Ou você pode escolher algo entre um balanço de potência e controle. Do mesmo modo que os jogadores mais técnicos que não são fisicamente muito fortes: você pode selecionar uma tensão de corda que maximize suas vantagens, minimize suas desvantagens ou fraquezas ou consiga uma média de todas as opções. Conhecendo como a tensão do encordoamento afeta seu jogo, você irá otimizar a sua própria performance e da sua raquete.

Fonte: Confederação Brasileira de Badminton (Colaboração: Celso Wolf Júnior - Presidente da CBBd)
Postar um comentário