26 de fevereiro de 2010

Calibre e Encordoamento - 4ª parte

NÍVEL DE JOGO E DESENHO DAS RAQUETES INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA CORDA

A percepção popular do badminton como um esporte “calmo” ignora a importância da potência no jogo. Jogadores com menos potência podem competir com sucesso em tênis e squash, fazendo com que a bola fique o mais longe possível de seu oponente. Isto não acontece com o badminton, porque virtualmente todas as jogadas caem perto do jogador oponente, a não ser que você o obrigue a ficar no fundo da quadra. E para que isto seja possível, você vai precisar de batidas com potência para ultrapassar as características aerodinâmicas de arraste da peteca. Uma perda de potência é simplesmente uma oportunidade para um smash de seu oponente. Potência é um pré-requisito para um jogador de alto nível.

Conforme o jogador de badminton passa do nível de iniciante, ele ou ela ficam mais fortes. Mas quando jogadores igualmente potentes competem entre si, o controle passa a ser o fator decisivo. Portanto, os jogadores devem ajustar seu equipamento, sua raquete e sua corda para seu nível de habilidade.

Iniciante, intermediário ou avançado? Tente esta metodologia para selecionar a corda correta para seu nível de jogo.

Iniciante

Análise:
Como um iniciante, você não está completamente familiarizado com controle: você está ainda tentando colocar a peteca na linha de fundo do seu oponente. O fato de você errar freqüentemente a batida, enfatiza a necessidade de uma corda que forneça uma boa potência, mesmo se você estiver batendo fora do local ideal na raquete. Porque você ainda está na fase iniciante, você provavelmente desejará economizar algo com seu equipamento, então a durabilidade da corda pode ser um importante item a considerar.

Recomendação: Potência vem da flexibilidade. A sua raquete deve ser bem fabricada e flexível e também a sua corda. Use uma corda multifilamento com calibre razoavelmente forte (20 ou 21 cal.) para boa durabilidade, encordoe com uma baixa tensão, entre 12 a 18 lbs., para obter bastante flexibilidade e potência.

Intermediários

Análise: Seus movimentos agora são mais potentes. Você estará desenvolvendo seu controle, mas você ainda necessitará usar mais velocidade na peteca. Estará nesta fase mais comprometido com o esporte e estará já trocando as cordas mais freqüentemente, para assegurar que seu equipamento esteja em ótimas condições. A durabilidade das cordas não é tão importante como era antes.

Recomendação: Nesta fase você estará usando uma raquete menos flexível. Você aceitará esta diminuição na potência pois já estará com uma grande melhora no controle. Do mesmo modo que sua corda. Você poderá usar agora uma corda multifilamento com calibre mais fino (21 ou 21-micro) e encordoar com um pouco mais de pressão (de 18 a 20 lbs.), para obter uma tensão maior e uma corda mais firme.

Neste caso, você terá poucas opções. Se você ainda preferir sua raquete mais flexível, você poderá iniciar encordoando-a com um pouco mais do que 18 a 20 lbs. Ou se preferir como um profissional, uma raquete ultra-inflexível. Você poderá encordoar com menos pressão para ter uma grande flexibilidade. O ponto, neste nível, é que o seu jogo necessita de ambos, controle e potência, então seu equipamento deve demonstrar uma combinação entre rigidez e flexibilidade.

Avançados

Análise: Potência não é mais um problema, é uma característica inerente ao seu jogo. A potência vem de seus movimentos, não de seu equipamento, os pontos são ganhos ou perdidos na tática e colocação das jogadas. Você necessitará do máximo controle possível de seu equipamento. Você deverá estar disposto a gastar mais em encordoar freqüentemente sua raquete, devido ao aumento no rompimento de suas cordas.

Recomendação: Sua raquete deve ser rígida da parte de cima até a parte de baixo: Cabo firme, cabeça firme, área da corda na raquete deve ser firme, a qual deverá se manter plana mesmo durante uma smash muito forte. Deve ser escolhida uma corda multifilamento fina (21-micro) e encordoá-la com uma pressão entre 20 a 25 lbs.

Fonte: Confederação Brasileira de Badminton (Colaboração: Celso Wolf Júnior - Presidente da CBBd)
Postar um comentário